Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

(In)Decisões

splash1.jpg

Em certos momentos das nossas vidas torna-se necessária uma decisão drástica... ou mudamos tudo, e tentamos virar a vida toda, ou simplesmente deixar a vida correr, e ver se os problemas se resolvem sozinhos.
Porém, muitas vezes ficam situações pendentes, pois um dos maiores problemas é a falta de coragem para mudar situações incómodas.
Quantas pessoas não se sentem bem com aquilo que têm ou fazem, mas por puro comodismo preferem aceitar as situações que têm do que procurar mudanças.
“Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.”
Quantas vezes, para "não deixar o certo pelo incerto" não agarramos as oportunidades que se nos deparam?
Parece-nos mais sensato. Parece-nos que deixamos uma situação que conhecemos para nos atirarmos para algo que desconhecemos. E temos sempre medo do desconhecido, pois pode abalar a nossa estabilidade.
Mas, é a realização dos sonhos que nos pode trazer a felicidade. E se houver necessidade de arriscar, devemos fazê-lo
Não que se deva deixar tudo por um sonho, mas se não estamos bem com o que fazemos (o que é prejudicial para a nossa personalidade), devemos calcular os riscos.
Mas, é sempre uma decisão complicada, pois pode mudar toda uma vida. E se existe uma família envolvida, então... há que ponderar.
Às vezes é necessário "perder-se o juízo".

2 comentários

Comentar post