Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

mimalhos

o tempo de chegada foi de mimalhos; nunca são demais, os mimos deles. o que me marcou mais, foi não terem perguntado o que lhes trouxe, mas mostrarem-se genuinamente contentes por me ter trazido. não foi um "estás cá!"; foi um "que bom estares!" entre sorrisos rasgados e abraços tão apertados conforme os bracitos lhes permitiam. o momento foi completado com um "adoro-te!".
 
ao final do dia de hoje, tenho dúvidas: não sei qual dos três o é menos...

vou

vou, e fico.
levo imagens e sons na bagagem.
levo na memória o Alentejo verde que vi no Sábado; as cegonhas em voo esforçado contra um vento frio e forte, pescoço bem esticado; levo o som estridente deles, hoje, a arremessar balões de água um ao outro; e levo um mar calmo, esverdeado, de olhos postos em sossego.
e fico com um forte desejo de dar corpo ao "havemos de nos reencontrar"; de preferência nesta encarnação...

nada é mais

"nada é mais exactamente terrível do que
estar sozinho em casa,com alguém e
com alguma coisa)
Partiste. há risos
e o desespero imita uma rua
eu inclino-me à janela,contemplando espectros,
um homem
estreitando uma mulher num parque. Perfeito."


xix poemas
e.e.cummings