Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

15
Mai05

Pode nem sempre ser assim

Tempus
"it may not always be so;
and i say that if your lips, wich i have loved,
should touch another's,
and your dear strong fingers clutch his heart,
as mine in time not far away;
if on another's face your sweet hair lay
in such a silence as i know,
or such great writhing words as, uttering overmuch
stand helplessly before the spirit at bay;
...
you of my heart, send me a little word;
that i may go unto him...
"

e.e.cummings
12
Mai05

Releituras

Tempus
"... às vezes, ler de novo os "posts" leva-me a uma conclusão totalmente diferente sobre quem escreveu, porquê e com que intenção.
Talvez porque quem escreveu e porquê tenham sido idealizados e assim sendo, tudo se passa na minha imaginação; as letras transportam pensamentos, que variam conforme a minha própria disposição.
"

In "Aos Mesmus".
Várius Barius.
11
Mai05

A um amigo

Tempus
No seu íntimo (essência), um Homem nunca está só.
Por vezes ele cria a solidão - o que é diferente.
Mas só, ele não se basta.
É por isso que, mesmo sem estar perdido, buscar é próprio do seu ser.
Buscar é um movimento de procurar, "ir ver" numa direcção.
Se não soubermos para onde nos dirigir temos, no mínimo, de saber para onde não queremos ir, ou onde não queremos estar.
Afinal, perceber isso, é sabermos onde estamos e por exclusão, para onde estamos a ir - para onde vamos.
09
Mai05

Você pode ajudar

Tempus
Combater as doenças graves do Homem passa por perceber como se comportam os nossos próprios organismos, muitas vezes através de modelos gráficos computadorizados.

Para isso é preciso poder computacional. Muito poder computacional: um, superior a um super-computador.

É aí que podemos ajudar: emprestar um pouco do tempo de processamento dos nossos próprios computadores, aderindo ao projecto "folder@home".
A ideia é simples: juntar o poder computacional de vários computadores espalhados pelo mundo, cujo somatório será superior a um super-computador.

Basta seguir as instruções em http://folding.stanford.edu/ e instalar o programinha que se encarregará do resto.
A Humanidade agradece.
08
Mai05

Dificuldades anunciadas

Tempus
Ali ficaram os dois, sentados em larga mesa para quatro, criteriosamente escolhida após reconhecimentos – era uma questão de brio profissional.
Entre petiscos e leveduras fermentadas, lá entraram noite dentro. Não eram como "os velhos dos marretas", nem no aspecto, nem na forma de estar (quer fosse ali, quer na vida) mas sobretudo, porque não des-conversavam.
Foi o facto de finalmente terem uma oportunidade de (lamentando algumas ausências) conversarem e de assim poderem passar em retrospectiva os últimos anos de vida (bem mais de 1500 horas comuns), que os alertou para alguns erros cometidos, por e para com eles, a que designaram de “excesso de zelo”, de "confusão de papéis" e de "falta de fé".
Concluíram com alguma facilidade e até com humildade, que não havia muito que se pudesse fazer para os emendar - um dos infortúnios da unilateralidade da corrida do tempo e da vida associada a esse rio, umas vezes manso, outras, feita de rápidos, mas sempre e em qualquer dos casos, forte na fluidez imparável.
A intensidade do momento vivido não estava numa simples troca de oportunos “mea culpa”, nem em qualquer (condenável) facilitismo de imputação a outros do que lhes doía, mas sobretudo numa grande honestidade na assunção de responsabilidades próprias perante terceiros e mais importante ainda, perante eles próprios.
Sabiam que essa situação se designa por “honestidade intelectual”.

A reboque de um mote deixado por um dos ausentes a propósito de um aniversário recente (“os amigos não se abandonam nunca...”) perceberam em conjunto que se avizinhavam momentos muito difíceis, em que o silêncio com que ambos receberam mutuamente as decisões que haviam tomado de forma independente, revelava o respeito pelas opções tomadas e o reconhecimento de que as vidas em separado e as diferenças de visão sobre o mesmo assunto, conduziram a um somatório de erros que desaguaram numa deliberação errada, por tomada em erro.

Daí que notassem com prazer redobrado que, mais do que estarolas, eram amigos.
Um belo início para a noite que seguiram, cada um por si, cada um para o seu mundo.
06
Mai05

Aniversárius - obrigado

Tempus
Desenganem-se:
neste aniversário não vamos apresentar estatísticas das visitas únicas, nem do número de páginas vistas, nem dos que retornam, nem de quantas visitas o Tempus teve, nem vamos tecer considerações sobre "o sucesso" do blog ou da falta dele.

Apenas se agradece muito a todos quanto gastam tempus a ler este blog, pelo tempus que nós investimos a escrever aqui.

O Tempus aparece ultimamente um tanto ou quanto "parado" em favor do seu blog-irmão, o "atuleirus", mas aqui como lá, não interessa (a meu ver) a muita produção de conteúdos e o número de visitas que se têm, mas sim a justeza da mensagem e o gozo do que se escreve para quem se escreve, os outros, sejam ou não família - até a minha mulher já lê os blogs!

E vá lá:
um obrigado especial à "SAPO" pela disponibilidade do "weblog-housing".

Um grande "bem hajam" a todso vós!
06
Mai05

Um ano é muito Tempus

Tempus
editingpb.jpg


Faz hoje um ano que o primeiro post do tempus foi publicado. Desde esse dia, alguns pensamentos, ideias e desabafos aqui apareceram. Nem sempre com a regularidade desejada, mas sempre com sinceridade. Teimosamente continuamos, apesar dos convites à mudança e apesar do começo de outros projectos na blogosfera. Sentimos o tempus como algo mais do que um simples blog, sentimo-lo como um amigo... e os amigos não se abandonam... NUNCA!

Pág. 2/2

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

Diversificado

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D