Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

imagines

via-se como um velho e não era por o sentir - porque descobriu que afinal, sentir, não lhe era nada. "quando era uma criança, fazia criancices e agora que sou homem, faço coisas de homem".

entre a parábola e a citação bíblica, fazem-se coisas de velho pela aparência das próprias coisas: ver fotos.

pequenos e grandes momentos vividos, retidos em sistemas digitais, que, reparo agora, trazem à memória outras imagens de um mundo analogicamente íntimo; descubro-me sem passado documental, preso nesta estranha paragem de metro, à espera do "maquinista", que há-de ser a favor ou contra a libertação destra "matrix" pessoal.

o agora embirrante lema "para mais tarde recordar" incomoda, porque nunca se sabe se irá haver um "mais tarde", género "para onde vou" da espécie "estar por cá".

com ternura, para dizer o mínimo, revejo-o feliz enquanto acanhado, naquele momento de triunfo muito pessoal, no cimo do podium de madeira pintada.

partilho da sua satisfação pela vitória obtida; onde antigamente cabia um brado de "segundos" num jogo de apanhada ou de escondidascabe agora um espaço de afirmação. ao vê-lo assim, sei que não errei em muito do tudo o que fiz e disse - não me revejo nele, nem lhe peço que seja o que não fui ou não sou; vejo-o já de cana em punho, à pesca das situações da vida. queira Deus, os bons espíritos, de preferência ambos, que sejam guardados do fracasso de não serem pessoas autênticas no século em que ser pessoa é o que menos conta.

o grito dos antigos "honra e glória" passou de "modus vivendi" a citação; coisa do passado onde se refundem mágoas, atropelos, exitações, excitações e outras coisas escondidas, sem história.

escondidas. é como as pessoas tendem a vivenciar - não viver - a sua experiência de vida menos boa.

como os velhos, contemplam lagos imensos onde se diluem as suas próprias imagens e as dos outros, como gostariam de ser, de estar, ou de ficar.

como eu.