Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

às voltas

- sempre voltaste!
- voltei; decidi à última da hora; e tu, afinal, sempre vieste buscar-me...
- pá... sim... distraí-me com as horas... desculpa aí! onde é a próxima?
- tudo bem; a próxima é em Madrid; e nós? estamos todos bem?
- sim... tirando o "ramitos" que se espatifou de mota...
- e vão dois...
- e sabes, falei com o Gibral; ele sempre saiu, sabias?
- foi?!? não sabia... pronto... já olhou para a estrada; agora, "é só" segui-la... espero que ele cumpra o ritual.
- humm?!?
- apanhe a poeira do chão com a mão direita e a mande para trás das costas por cima do ombro direito...
- e o que é que é isso?
- não olhar para trás; não cair; seguir; seguindo, há-de encontrar-se. Encontrando-se, há-de amar; amando, há-de viver, outra vez.
- yep... onde vamos?
- ao Grog; in frates memoria!
- e tu? pá! tu... tu, vens bem! estás diferente! não sei em quê, mas estás diferente; a voz; o cabelo arranjado, barba aparada... apesar da barba... estás mais novo! e os teus olhos sorriem outra vez quando falas!
- é; ví-me ao espelho;
- e?
- e vi um marciano;
- e?
- há vida em Marte.
- boa!
- olá Miguel!
- olá! bem vindo! só uma coisa: não sou Miguel: sou Vasco;
- boa... quem é o Miguel?
- o meu irmão... e o que vai ser? o costume?
- não sei; para já... duas guiness... Vasco!
- in frates memoria!
- in frates memoria!
- ... a sair!

11 comentários

Comentar post