Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Trajicidades

Não há duas sem três, o mau pode sempre piorar e coisas assim.

Imaginem esta que se passou com um amigo meu:
- um cidadão descobre que falta dinheiro na sua conta bancária; foi "via net", disseram-lhe; há que apresentar queixa; no final da investigação, foi arquivado por falta de provas;
- alguém decidiu ao mesmo tempo, por abertura de um processo (tutelar de menores) contra o filho do queixoso: era o único do agregado familiar sobre quem podia recair a suspeita...
- sem qualquer comunicação aos pais;
Pensava que os pais tinham de "desejar o procedimento criminal" contra o filho...

Ainda diz o Helder em defesa "ai e tal, o MP, coiso..."
e respondemos nós, em consequência: "ai e tal não! ai e tal não! Como é que é? umas vezes é porque sim; outras, é porque não!"

Visões de ti


Some day, when I'm awfully low,
When the world is cold,
I will feel a glow just thinking of you...
And the way you look tonight.

Yes you're lovely, with your smile so warm
And your cheeks so soft,
There is nothing for me but to love you,
And the way you look tonight.

With each word your tenderness grows,
Tearing my fear apart...
And that laugh that wrinkles your nose,
It touches my foolish heart.

Lovely ... Never, ever change.
Keep that breathless charm.
Won't you please arrange it ?
'Cause I love you ... Just the way you look tonight.


Sinatra.
Mas, cantado por Phill Collins.

Aos ciber-Zudans dos nossos dias

Honra de vos conhecer; honra, por convosco viver.
Disse ela, muito apropriadamente:

Nunca choraremos bastante quando vemos
O gesto criador ser impedido
Nunca choraremos bastante quando vemos
Que quem ousa lutar é destruído
Por troças por insídias por venenos
E por outras maneiras que sabemos
Tão sábias tão subtis e tão peritas
Que nem podem sequer ser bem descritas



"Pranto pelo dia de hoje".
Sophia de Mello Breyner.

Tocar o ser

“Quem um dia tocou o ser,
ultrapassou as orlas nas quais as palavras,
os conceitos,
as escolas,
as confissões são ainda importantes.

Pois ele aprendeu a venerar aquilo que anima todas essas coisas."



Jünger. “O Passo da Floresta”.

Apoio à família

sweet.jpg
O Governo aprovou na passada quinta-feira em Conselho de Ministros a lei que dá às mulheres grávidas, que optem por mais um mês de licença de maternidade, o respectivo subsídio, pago pela segurança social. A medida já estava prevista no Código de Trabalho, mas faltava ainda regulamentar o subsídio de maternidade para a totalidade dos 150 dias. O quinto mês manter-se-á «igual a 80 por cento da remuneração de referência durante o período da correspondente duração».
A família tem sido alvo de prioridades do Governo e por isso mesmo no Código do Trabalho a assistência a netos vem configurada. «O trabalhador pode faltar até 30 dias consecutivos, a seguir ao nascimento de netos que sejam filhos de adolescentes com idade inferior a 16 anos, desde que consigo vivam em comunhão de mesa e habitação». Estas faltas passam agora também a estar regulamentadas podendo assim os avós receber 100 por cento da remuneração de referência.
As licenças concedidas por ocorrência de maternidade, paternidade ou adopção não podem ter valores inferiores a 50 por cento da retribuição mínima mensal garantida, estabelecendo o Governo que devem ser de 100 por cento.
O Executivo procedeu à avaliação dos efeitos financeiros decorrentes das referidas alterações. A estimativa é de que ocorrerá um acréscimo de encargos, no entanto o Governo admite que essa expressão não será significativa.