Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

Tempus a tempus

um espírito próprio dos que vão estando a tempus, in tempus.

a dor no

é assim como um estar aqui, mas estar ali também.

as imperfeições do ser acumulam-se, e dão origem ao somatório de intolerãncias, que avoluma e cresce.

fingir que se não percebe, não é um sinónimo de se procurar o entendimento, mas sim o desacreditar em mudança, em algo que devi ser bom mas não é.

persiste-se num 'semper paratum' que a qualquer momento resvala para a disrupção.

de um lado os lutos mal resolvidos, do outro as manhosices que permitem o ir-se safando, ou fazendo o que se quer, sem a menor preocupação pelo esforço físico e psicológico de terceiros - as verdaeiras traves mestras.

de instituição tenebrosa a amálgama de indiferenças infividuais, somadas por anos e anos de sobrevivência emocional no limite, isto é, entre o menos e o zero, nada do que parecia, o é hoje, e nada do que deveria ser o é, e nada parece ser o que é.

uma vida cheia de nada, um esforço de sustentação hercúleo a todos os níveis.

dos 3/3 que nos compõem (realização profissional, parte emocional, realização intelectual )já é mau quando um rui com barulho; quando dois não funcionam, passa-se do nível de alerta para o de alarme.

se desaparecem os 3 componetes, o mundo gira, a vida transforma-se, e o cíclo da vida recomeça.

só que cada vez que tal sucede, o vigor é menor; a beleza das situações esbate-se num murmúrio de arrependimento, e a sabedoria é posta em causa.

peça de adorno, tolerável pela necessidade.

já nem o hino nos une.

que pena.

voces dois...

adoro essa tua característica que te acompanha desde menino: a seriedade; nunca vem só; nunca a trazes sozinha: vem sempre com a meiguice, bondade, humor.

tens um abraço fenomenal; pleno; de entrega; de querer sentir.

tens um sorriso admirável, porque reflecte tudo isso.

 

tu: adoro a tua meiguice. os afectos em forma de ronronar. quando te tornas brusco, fazes uma cara engraçada de auto-admiração: surpreendes-te por ser brutinho; significa que não és: apenas te distrais e deixas sair um génio à espera de ser amaciado.

 

o vosso conceito de família una, é admirável.

a forma como conseguiram conviver com as regras das nações apartadas e afirmarem-se, uma lição.

vocês são dois seres maravilhosos, que, espero, melhorem sempre e em todos os aspectos.

peço-vos: sejam melhor que eu, e tudo.

fico um pai feliz.

 

 

dor e sentimento: origem da estagnação evolutiva

há motivos para se ser o humano na raça que conhecemos.

 

Deus e os bons espíritos determinaram que nesta fase da evolução, o Homem não pudesse comunicar telepaticamente, como forma de protecção do dano causado: o sentimento.

 

só quando o sentimento for varrido do Ser, se poderá ascender a outras formas de comunhão e de concorrência de vida.

 

foi a maneira que tiveram de nos poupar ao desgosto, de sabermos o que aquela pessoa pensa de nós, ou o companheiro nos trai (e com quem) ou o que lhes vai de dor na alma, passando esse sentimento a fazer parte de nós.

 

paralelamente: nada como o fantasma da morte para nos sentirmos vivos.

circun estâncias

deram-me a ler.

não foi um visto prévio, nem uma afirmação.

mas para mim foi uma surpresa, um atributo qualitativo, um inesperado; foi uma prova evidente de que o tempo passou, as pessoas evoluem e o sentimento cresce.

é um curto ensaio, mas não se ensaia o que se tem lá dentro, disponível para os outros.

é um texto forjado no respeito; no querer-se bem, querer e desejar, sem fazer mal a ninguém.

revela, objectivamente, que se trata de uma pessoa de Bem.

"Há muito que tenho para te dizer mas ao qual não tenho direito. Tenho saudades tuas, penso em ti sem que sejas minha para pensar; Sonho contigo sem que sejas minha para sonhar; gosto de ti mesmo sabendo que nao me seja permitido gostar. Sinto falta de quando me chamas de "besta" e sorris, quando és mais bruta e reages, quando brinco contigo e te exaltas denunciando, adoravelmente, a casa onde pertences.

Quero falar contigo abertamente.

Gosto de ti e anseio pelo teu toque, sendo este, produto de uma piada parva ou um elogio que te coloque nos meus braços. Sinto falta dos teus abraços.

Quando me dizes 'olá' são 5 segundos da realidade abafados por uma eternidade efêmera no céu. Apesar de todo este sentir, querer e gostar... Tenho medo.

Medo que acabemos por nos separar, que acabem as carícias, os confortos, os risos (especialmente o teu). Receio porque te adoro e antes de tudo desejo a tua presença na minha vida devido ao teu ser, és sem duvida alguma uma amiga que quero para a vida. E tenho medo que o meu sentir, querer e gostar arruinem tudo isto."

 

possam os outros respeitar-te, como tu respeitas tudo e todos...

 

all

"What would I do without your smart mouth?
Drawing me in, and you kicking me out
You've got my head spinning, no kidding, I can't pin you down
What's going on in that beautiful mind
I'm on your magical mystery ride
And I'm so dizzy, don't know what hit me, but I'll be alright

My head's under water
But I'm breathing fine
You're crazy and I'm out of my mind

'Cause all of me
Loves all of you
Love your curves and all your edges
All your perfect imperfections
Give your all to me
I'll give my all to you
You're my end and my beginning
Even when I lose I'm winning
'Cause I give you all of me
And you give me all of you, oh oh

How many times do I have to tell you
Even when you're crying you're beautiful too
The world is beating you down, I'm around through every mood
You're my downfall, you're my muse
My worst distraction, my rhythm and blues
I can't stop singing, it's ringing, in my head for you

My head's under water
But I'm breathing fine
You're crazy and I'm out of my mind

'Cause all of me
Loves all of you
Love your curves and all your edges
All your perfect imperfections
Give your all to me
I'll give my all to you
You're my end and my beginning
Even when I lose I'm winning
'Cause I give you all of me
And you give me all of you, oh oh

Give me all of you
Cards on the table, we're both showing hearts
Risking it all, though it's hard

'Cause all of me
Loves all of you
Love your curves and all your edges
All your perfect imperfections
Give your all to me
I'll give my all to you
You're my end and my beginning
Even when I lose I'm winning
'Cause I give you all of me
And you give me all of you

I give you all of me
And you give me all of you, oh oh"

standing

"Don't ask me
What you know is true
Don't have to tell you
I love your precious heart

I
I was standing
You were there
Two worlds collided
And they could never tear us apart

We could live
For a thousand years
But if I hurt you
I'd make wine from your tears

I told you
That we could fly
'Cause we all have wings
But some of us don't know why

I
I was standing
You were there
Two worlds collided
And they could never ever tear us apart "

 

 

would

"You tell all the boys "No"

Makes you feel good, yeah.
I know you're out of my league
But that won't scare me away, oh, no
You've carried on so long,
You couldn't stop if you tried it.
You've built your wall so high
That no one could climb it,
But I'm gonna try.
Would you let me see beneath your beautiful?
Would you let me see beneath your perfect?
Take it off now, girl, take it off now, girl
I wanna see inside
Would you let me see beneath your beautiful tonight?
You let all the girls go
Makes you feel good, don't it?
Behind your Broadway show
I heard a boy say, "Please, don't hurt me"
You've carried on so long
You couldn't stop if you tried it.
You've built your wall so high
That no one could climb it.
But I'm gonna try
Would you"

desgraça da mente

desgraçadamente.

deve ser isso que se quer dizer com a desgraça que a mente por vezes trás.

ou a graça de os caminhos que cruzamos serem paralelos, à distância da vista mas sem se tocarem.

não são rosas Senhor, são carris, simetricamente emparelhados, metricamente constantes, distanciadamente longos.

os carris servem para se andar sem descarrilar. mantêm uma direcção pré-definida, sem hipótese de variação, e portanto, sem complicação.

terão, um princípio e um fim, para o seu encarrilamento.

encarrilamento, é o acto de encarrilar, de por na linha quem não estava em linha.

só cabe, em cada sentido de marcha, um ocupante deidamente encarrilado.

e nesse caso, será o ocupante, mesmo que solitário, um ocupador de dois carris.

a pluralidade num só. a duplicidade num sentido de um Ser.

também será por esse carril, que se vai numa determinada direcção, se não acertada, pelo menos, certa. vai-se.

até se chegar ao ponto, ou interrompendo essa marcha por via de um salto qualitativo e disruptor: se não é possível prosseguir no sentido pré-dterminado carrilarmente, pode-se saltar, o que não constitui um descarrilamento.

apenas o atrevimento de se findar o percurso antes de se chegar ao destino.

não se inicia a viagem sem bilhete, adquirido previamente, num ponto de venda.

o bilhete, nunca é uma fraude. a sua aquisição, também não.

a viagem, essa, pode ser isso e uma desilusão.

in da rain

sabe bem a chuva refrescante, a meio da tarde, sufocante. limpa o quente do chão e refresca a alma. a tempestade de relâmpagos enfeita o ambiente e aquela imensa luz branca deixa reparar nas pequenas nuvens que sobem do asfalto. canto a canção e sorrio, enquanto me refugio numa cafeteria próxima.

coisas da cidade da maçã.